fbpx

Governo anuncia medidas para impulsionar setor imobiliário

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou que o governo prepara um conjunto de ações para revitalizar o setor imobiliário, com previsão de divulgação no início de abril. Entre as iniciativas, está a criação de um mercado secundário de títulos imobiliários, visando ampliar o acesso ao crédito imobiliário no Brasil. “Vamos destravar esse mercado”, afirmou Haddad, ressaltando a importância de um sistema de crédito mais robusto.

A estratégia inclui permitir que bancos vendam contratos de financiamento imobiliário para outras instituições, liberando espaço para novos financiamentos. Essa medida, segundo Haddad, tem potencial para impulsionar a construção civil no país. A equipe econômica já trabalha em conjunto com líderes do setor para desenvolver ações para “aprimorar o mercado de crédito imobiliário nacional”.

Além disso, o governo prepara um programa de hedge cambial e uma Medida Provisória que contempla uma linha de microcrédito para ex-beneficiários do Bolsa Família e a renegociação de dívidas do Pronampe. Haddad enfatizou a necessidade de um mercado de crédito imobiliário mais eficiente no Brasil, comparável ao dos países desenvolvidos.

Fonte: Money Times

Construção civil de Sinop começa 2024 em alta e número de novos alvarás aumenta 30,38%

A construção civil em Sinop, assim como em 2023, segue em alta em 2024. Reflexo disso são os dados do Núcleo de Projetos e Desenvolvimento Urbano de Sinop (Prodeurbs), que apontam que nos dois primeiros meses deste ano foram emitidos 369 alvarás de obras (188 em janeiro e 181 em fevereiro), com crescimento de 30,38% em relação ao mesmo período do ano anterior (283 emissões).

Este resultado também significa um crescimento em relação aos números alcançados nos dois primeiros meses de 2022 (312 alvarás e crescimento de 18,26%) e 2021 (336 alvarás e crescimento de 9,82%). Este avanço é impulsionado, ainda, pelos constantes investimentos realizados pela Prefeitura na infraestrutura, saúde, educação e outras áreas.

“Sabemos que Sinop cresce a cada dia e atrai os olhares de investidores do mundo inteiro. Nossa economia avança muito e isso dá confiança aos investidores, que vêm até nosso município e aqui iniciam novas obras de empresas, residências. É um crescimento sustentável”, enfatizou o prefeito Roberto Dorner.

Em relação ao habite-se (documento que a Prefeitura emite para comprovar a construção de um imóvel seguindo todas as regras estabelecidas pelo município, tornando-o apto para servir como moradia), foram emitidos 221 entre janeiro e fevereiro de 2024.

Uma das ações da Prefeitura que contribui para este crescimento da construção civil foi a sanção da lei complementar que ajustou novos limites para construções prediais em Sinop, o que vem evidenciando o potencial de verticalização do município.

As mudanças na legislação foram definidas com intuito de fomentar o desenvolvimento do município, já que, na prática, a quantidade de pavimentos na região do quadrilátero central (formada pelas avenidas Palmeiras, Tarumãs, Jacarandás e Ingás) fica livre.

Fora desta área, os novos prédios passaram a poder ter até 25 andares quando localizados em avenidas (antes o limite era 21) e, em ruas, onde antes os edifícios poderiam ter até 8 andares, podem ter agora o máximo de 12 pavimentos.

Fonte: Visão Notícias – 06 de Março de 2024 ás 12h 40min, por Luan Cordeiro

Modernização de lei para construções prediais evidencia potencial vertical de Sinop e emissão de alvarás bate recorde

O novo recorde obtido em relação à emissão de alvarás de construção em novembro, com 389, é 84,36% maior que o mesmo mês em 2022, quando foram registradas 211 emissões. O número expressivo é reflexo da pujança da construção civil no município, mas também resultado da lei complementar, sancionada há cerca de um ano pelo prefeito Roberto Dorner, que ajustou novos limites para construções prediais em Sinop, o que vem evidenciando o potencial de verticalização do município.

O resultado deste ano, representa 57.245,9 metros quadrados autorizados para construção. Considerando o resultado de janeiro a novembro de 2023, foram 3.092 emissões, isto é, um crescimento de 19,2% em relação ao mesmo período de 2022, com 2.594 emissões. Já sobre o habite-se (documento que a Prefeitura emite para comprovar a construção de um imóvel seguindo todas as regras estabelecidas pelo município, tornando-o apto para servir como moradia), o crescimento é de 21,48%, com 1.346 emissões em 2023 e 1.108 no ano anterior.

As mudanças na legislação foram definidas pelo prefeito e equipe do Executivo, e aprovadas pelos vereadores na Câmara Municipal. O intuito é fomentar o desenvolvimento do município, já que, na prática, a quantidade de pavimentos na região do quadrilátero central (formada pelas avenidas Palmeiras, Tarumãs, Jacarandás e Ingás) fica livre.

Fora desta área, os novos prédios passaram a poder ter até 25 andares quando localizados em avenidas (antes o limite era 21) e, em ruas, onde antes os edifícios poderiam ter até 8 andares, podem ter agora o máximo de 12 pavimentos. “Foram mudanças essenciais para o nosso município e hoje nós já vemos os frutos sendo colhidos, com diversos prédios sendo construídos em diferentes regiões”, destacou o prefeito.

De acordo com o diretor do Núcleo de Projetos e Desenvolvimento Urbano de Sinop, Luiz Henrique Magnani, os ajustes proporcionaram que Sinop ganhasse uma nova cara. “Sinop vem dando uma virada nessa questão da verticalização a partir da mudança da Lei, quando a atual gestão entendeu que sem as alterações legais inviabilizaria que Sinop se verticalizasse. Então, numa ação da gestão, através do prefeito Roberto Dorner, que entendeu esse propósito, fizemos essa alteração legal e hoje Sinop vem respondendo significativamente. Foi uma ação da gestão que refletiu significativamente na criação de um novo município, que vai se verticalizar e crescer exponencialmente nos próximos anos”.

Um desses empreendimentos, cuja construção foi viabilizada em decorrência da mudança da legislação, é o SKY 360, prédio comercial que será edificado na rotatória do cruzamento das avenidas Figueiras com Magda Pissinatti, na região do Residencial Florença. A unidade, que é uma parceria da Haacke Empreendimentos com a World Trade Center (WTC), deve contar com 25 andares (caso não houvesse a modernização, o prédio poderia ter 21 andares).

“Foi uma modernização que evidenciou o potencial de Sinop não só para a região ou Estado, mas sim para o mundo. E assim como esse empreendimento, outros poderão ser instalados em nosso município através do avanço dessa lei. Isso significa novos empreendimentos e, consequentemente, mais geração de empregos e renda”, completou Dorner.

Fonte: https://www.sinop.mt.gov.br/Noticias/Modernizacao-de-lei-para-construcoes-prediais-evidencia-potencial-vertical-de-sinop-e-emissao-de-alvaras-bate-recorde-11557/

Primeiro voo da LATAM na rota Sinop-Guarulhos registra 86% de ocupação

A LATAM, que se tornou mais eficiente e competitiva, lançou oficialmente a rota Sinop-São Paulo/Guarulhos em 1º de novembro, com uma taxa de ocupação de 86% no voo inaugural. Essa nova rota, a segunda da companhia na região após Sinop-Brasília, tem a previsão de transportar mais de 38 mil passageiros por ano.

Essa operação conecta diretamente a região do norte mato-grossense ao principal hub da LATAM no Brasil, localizado em Guarulhos, de onde a companhia oferece conexões para mais de 50 destinos no Brasil e outros 90 destinos internacionais.

A diretora de Vendas e Marketing da LATAM Brasil, Aline Mafra, destacou que o investimento considera a demanda forte e consistente da região, observando que a rota Sinop-Brasília já havia registrado um alto índice de ocupação e transportado 90 mil passageiros em 17 meses. Agora, a nova rota permitirá um rápido acesso a toda a conectividade de Guarulhos.

O voo Sinop-São Paulo/Guarulhos é operado quatro vezes por semana, utilizando aeronaves Airbus A319 com configuração de até 12 passageiros na cabine Premium Economy e 126 na Economy. A duração média do voo é de 2 horas e 30 minutos, com horários que facilitam a conexão entre as duas cidades. Além disso, o voo Sinop-Brasília continua sendo operado em dias específicos, oferecendo mais opções para os passageiros da região de Sinop.

Fonte: https://aeroin.net/primeiro-voo-da-latam-na-rota-sinop-guarulhos-registra-86-de-ocupacao/

Aeroporto de Sinop tem crescimento de 13% em pouso e decolagens de aeronaves; cargas aumentam

O aeroporto João Batista Figueiredo registrou crescimento de 13,60% no número de pousos e decolagens de aeronaves neste ano, em comparação com 2022, segundo levantamento da Agência Nacional de Aviação Civil. De janeiro a agosto foram 1,77 mil voos, contabilizando transporte aéreo regular e não regular.

O relatório do ministério de Portos e Aeroportos aponta janeiro com 295 aeronaves, fevereiro 197, março 232, abril 205, maio 211, junho 208, julho 207 e agosto 216.

Ainda segundo levantamento da Anac, subiu 36,61% a movimentação de cargas aéreas nos oito meses do ano, com 321,45 toneladas. O mês de agosto foi recordista, com 46,5 toneladas.

Conforme Só Notícias já informou, já na movimentação de passageiros. Sinop é segundo do Estado com maior fluxo, 233,4 mil, atrás apenas do aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande. Em 2023 o aumento é superior 24% em relação ao no passado.

 

Fonte: Só Notícias

Licitação para duplicação da BR-163 nos trechos Sinop/ Sorriso e Lucas/Mutum deve ser lançada até dezembro

O presidente do Conselho de Administração da Nova Rota do Oeste, Cidinho Santos, confirmou que a licitação para contratação da empresa que irá duplicar o trecho da BR-163 de Nova Mutum a Lucas do Rio Verde, e de Sorriso a Sinop, deve sair ainda este ano. Neste momento, o trecho que está sendo duplicado fica entre Nova Mutum e Diamantino.

“Estamos finalizando os projetos para dar sequência nos outros trechos. A intenção do governador, da diretoria da Nova Rota do Oeste e do Conselho é termos, em 2024, obras em todos os trechos onde ainda não há duplicação. Ainda este ano, pretendemos lançar o edital para contratação do trecho de Nova Mutum a Lucas do Rio Verde e de Sinop a Sorriso”, detalhou.

No mês passado, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fez uma visita técnica no trecho da BR-163, entre a divisa com o Mato Grosso do Sul, até o entroncamento com a MT-220, em Sinop. Segundo a autarquia, cerca de quatro meses após a efetivação da troca de controle para o Governo de Mato Grosso, por meio da MT PAR, a Nova Rota do Oeste mantém um ritmo acelerado de obras.

“A duplicação entre Nova Mutum e Posto Gil está avançando rapidamente. A previsão é que 15 quilômetros sejam concluídos já em novembro deste ano. Essa expansão ajudará a melhorar a fluidez do tráfego e a segurança dos usuários”, informou a Agência.

Atualmente, a concessionária faz as obras de recuperação do pavimento da pista existente e a duplicação da nova via, do Posto Gil até Nova Mutum (80 km) sendo que 36 km devem ficar prontos até junho do ano que vem. Em Nova Mutum, será construído um viaduto em parceria com o município, no acesso da cidade e setor industrial.

 

Fonte: Só Notícias

Sinop celebra marco histórico com a Inauguração do World Trade Center, impulsionando o horizonte econômico da região

Mais um passo importante para o desenvolvimento foi dado, na tarde desta quarta-feira (23),  em Sinop. O prefeito Roberto Dorner entregou nas mãos do empresário Carlos Júlio Haacke, da Haacke Empreendimentos, o alvará de construção do SKY 360, prédio comercial que será edificado na rotatória do cruzamento das avenidas Figueiras com Magda Pissinatti, no residencial Florença.  “Sinop já tem um ganho muito grande com essa empresa se estabelecendo e construindo em nossa cidade. Com esse prédio, então, vai chamar a atenção do mundo, onde os grandes investidores, as pessoas que trabalham no agronegócio, vão ter um lugar especial para trabalhar. Então eu fico muito feliz”, destacou Dorner.

Esse é o primeiro prédio do complexo que será construído a partir da parceria da Haacke Empreendimentos com a World Trade Center (WTC) – maior plataforma de negócios e investimentos do mundo -.  A unidade deve contar 25 andares e foi pensado na sustentabilidade. “O prédio vai ser altamente sustentável em todos os sentidos, desde a parte externa dos vidros e a tecnologia que vai ser usada, a parte de ar-condicionado, que vai ser central, de uma forma tecnologia verde, e tudo mais vai ser sustentável dentro do prédio. A tecnologia vai ser utilizada para poder fazer acessos e controles, tudo isso também tem envolvido sustentabilidade e alta tecnologia”, destacou o presidente da Haacke Empreendimentos, Carlos Júlio Haacke.

O SKY 360 faz parte da primeira fase de implantação do complexo, como explicou Carlos Dalben, representante da Mundial Lançamentos. “Foi feito uma reserva de 8 terrenos no local [região do Florença], onde esses terrenos vão ser compostos em várias fases do empreendimento. A primeira fase, é o Sky, que será feito na rotatória. As demais [torres] serão subsequentes. Vai ter hotelaria, centro de saúde com hospital, centro de educação, nós vamos ter outros centros comerciais e corporativos, bem como também alguns residenciais estão previstos, mas isso dentro de um faseamento de obras ao longo de 10 a 15 anos todos esses produtos”, pontuou, ao destacar que devem construídas 10 torres.

Dalben destacou ainda a importância da marca WTC para o empreendimento. “O WTC é a maior grife de negócios do mundo. Quando se fala em negócios, o WTC aparece em primeiro hoje, então é a maior marca de negócios do mundo, então ele sugere uma centralidade de negócios, tanto pelo empreendimento, pelo local físico, como da WTC Business Club, onde há uma interligação de empresários, de empresas relacionadas ao agro e também outras que vão operar e direcionar suas atividades, operações, eventos no complexo”, acrescentou.

A Câmara de Vereadores também teve papel fundamental para que esse projeto saísse do papel. “Havia a necessidade de alteração da tabela, que tem os parâmetros para a construção de edifícios. Tinha uma limitação e alguns vazios da lei em algumas regiões da cidade, então, nós entendemos como importante essa alteração mesmo antes da conclusão do Plano Diretor para liberar realmente esse tipo de empreendimento. A gente fica feliz de ver hoje a entrega do alvará do primeiro prédio desse complexo de edifícios. São empresas investindo na cidade, trazendo emprego, renda e desenvolvimento e, nós lá na Câmara, somos parceiros em qualquer legislação que venha sempre a destravar o município e melhorar o desenvolvimento urbano da cidade”, destacou o presidente da Câmara, vereador Paulinho Abreu.

A entrega do alvará foi feita no gabinete do prefeito e contou com a presença também do secretário de Desenvolvimento Econômico, Klayton Gonçalves e, do diretor do ProdeUrbs, Luiz Henrique Magnani.

FONTE: https://www.sinop.mt.gov.br/Noticias/Prefeito-entrega-alvara-de-construcao-de-predio-e-marca-chegada-do-world-trade-center-em-sinop-11233/

Antes de queda de juros, preço de imóveis já se valoriza e supera inflação

Valorização do preço de imóveis chega a quase 13%, enquanto a inflação oficial, medida pelo IPCA, avançou pouco menos de 4%

O reajuste dos preços dos imóveis é algo acompanhado de perto por quem busca adquirir uma propriedade seja para morar, alugar ou revender. Quem adquiriu um imóvel nos últimos doze meses não tem do que reclamar, já que os preços superaram – e muito – a inflação; isso antes mesmo antes do início do ciclo de queda dos juros.

Conforme o Índice Geral do Mercado Imobiliário Residente, o IGMI-R, que mede a taxa média de valorização de imóveis residenciais nos últimos 12 meses, encerrados em maio, houve uma valorização de 12,98%. Na mesma comparação, em igual período, a inflação medida pelo IPCA subiu 3,94%.

Outro levantamento, este da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), também mostra que a valorização dos imóveis vem batendo a inflação nos últimos tempos. De 2012 a 2022, a média anual de valorização do preço dos imóveis soma 12,2%.

Pelo estudo, a valorização dos imóveis, de 2012 a 2022, somou 95% na média nacional, entretanto na cidade de São Paulo foi superior: 137%. A inflação no período, contudo, foi de 90%. Nos últimos dez anos, ainda como comparação, quem investiu em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) obteve ganhos médios ao ano de 8,6%.

À espera da queda da Selic

Aspectos como localização e infraestrutura ajudam na valorização de um imóvel, seja na planta ou usado. Mas os juros em queda também costumam influir – positivamente – nessa conta, já que o mercado imobiliário tradicionalmente aquece suas vendas em período de taxas mais baixas, puxando os preços para cima.

Presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz França afirma que a aquisição de imóveis é muito ligadà à confiança do consumidor, nível de desemprego e a taxa de juros. “Taxa de juros abaixo de dois dígitos, em geral, cria um movimento bastante forte no mercado imobiliário”, diz.

E essa é a grande expectativa da construção civil e dos investidores no ramo a partir da agora, já que o início de flexibilização dos juros é o melhor momento para avançar sobre as oportunidades e projetar possíveis ganhos.

Valorização

Enquanto espera a primeira queda da taxa Selic – ao que tudo indica para agosto –, o mercado imobiliário referenda o que os números apontam. “É raro o mercado de imóveis sofrer desvalorização”, afirma Thiago Ely, diretor-executivo Comercial e Crédito da MRV (MRVE3).

 

“Pode até não ter aquele boom (explosão de vendas), mas raramente ele cai. Sempre tem uma constância de pequenas valorizações, o que vai dando mais confiança ao investidor”, complementa.

A MRV avalia que, em um ano, empreendimentos seus vendidos na planta e em fase de construção, têm alcançado valorização entre 15% e 23%.

“No pior dos casos, nas entregas dos imóveis, você segue a inflação, mas na maioria das vezes o preço final fica acima dela”, corrobora Leonardo Mesquita, vice-presidente Comercial da Cury Construtora (CURY3).

O tamanho do crédito dispensado nos últimos anos ao mercado imobiliário é um convite a olhar mais de perto as oportunidades na área, devido ao grande volume de lançamento que acompanha esses dispêndios.

Segundo calculo da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), que elabora junto com a Fundação Getúlio Vargas o IGMI-R, em 2021, o segmento fez o maior desembolso para o mercado imobiliário da história: R$ 255 bilhões.

Em 2022, o desembolso também foi forte e ficou em R$ 241 bilhões. Para esse ano, a projeção de desembolso do crédito imobiliário é da R$ 220 bilhões – se alcançado, seria o terceiro maior da história.

Cabe destacar que a Selic alcançou dois dígitos março de 2022 e se mantém em 13,75% desde agosto do ano passado – ou seja, nos últimos doze meses se encontra no patamar mais elevado desde dezembro de 2016.

Taxa média de crédito

José Ramos Rocha, presidente da Abecip, recorda que quem, há cerca de dois anos, comprou um imóvel na planta tinha taxa média de crédito imobiliário de 7,5% a 8%. Hoje, a taxa chega a 10,5% devido à elevação da Selic.

O executivo reconhece que existe uma inadimplência muito alta no geral no mercado financeiro e que acaba refletindo no crédito para o setor imobiliário. Por conta desse cenário, algumas incorporadoras adiaram seus lançamentos.

“Com a queda da Selic, o primeiro impacto que ela vai causar é, provavelmente, estancar o crescimento da taxa cobrada dos financiamentos imobiliários. A taxa se estabilizaria, mesmo que fique (a Selic) em dois dígitos esse ano”, aponta Rocha.

Ele calcula que a provável queda dos juros, nesse início do segundo semestre de 2023, teria reflexo prático na taxa de financiamento de imóveis a partir do final do ano.

Para a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em seu último estudo de indicadores imobiliários, com dados consolidados do primeiro trimestre do ano, o mercado, de fato, mostra insegurança com a escassez e o encarecimentos de recursos para o financiamento.

Não por acaso houve uma queda de vendas de imóveis no início do ano comparado com 2022. O número de unidades vendidas foi 5,2% menor em comparação com o trimestre anterior e 9,2% inferior quando comparada ao primeiro trimestre do ano passado.

“O mercado segue saudável e equilibrado, pois há demanda potencial. O que existe é falta de confiança do empresário, que refletirá no mercado futuro”, analisa a CBIC neste estudo.

Imóvel para investimento

Para Leonardo Mesquita, da Cury, a tendência é que o mercado se torne ainda mais atrativo com a taxa de juros mais baixa. “Pode ser que a parcela de investidores em imóveis cresça (com os juros menores) porque se tem um número maior de pessoas que, ao invés de deixar o dinheiro rendendo juros, tende a fazer um giro diferente (das aplicações) e o imóvel torna-se uma boa opção”, diz.

Mesquita calcula que 10% de unidades de empreendimento são vendidos para investidores, mais esse índice oscila entre 3% e 20%. “Vai depender muito da característica da região. Mas sempre tem o pequeno, o médio e o grande investidor visando imóvel como patrimônio”, afirma.

“Imóveis respondem bem mesmo a momentos difíceis”, ressalta Mesquita, acrescentando que empreendimentos econômicos nos grandes centros passaram também a ter uma dinâmica diferente, com oferta em lugares mais centrais. “Quando se conjuga imóveis econômicos com boa localização, eles tendem a ter um potencial de valorização muito grande”, destaca.

Ano passado, o valor geral de vendas (VGV) da Cury fechou em R$ 3,3 bilhões. No primeiro semestre do ano, foram R$ 2,4 bilhões em lançamento, apontando uma tendência de chegar ao final de 2023 com números superiores a 2022.

 

A Incursão de Elon Musk no Mercado Imobiliário: Explorando Novos Horizontes

Elon Musk é conhecido como um visionário audacioso, cujas empresas revolucionaram os setores automotivo, aeroespacial e de energia. No entanto, nos últimos tempos, Musk tem chamado a atenção ao expandir seus interesses além dessas indústrias. Uma de suas incursões mais recentes e intrigantes é a entrada no mercado imobiliário. Neste artigo, vamos explorar os detalhes dessa nova empreitada de Musk e as possíveis implicações que ela pode ter.

1. A visão por trás da entrada de Elon Musk no mercado imobiliário: Elon Musk é conhecido por sua paixão por criar soluções inovadoras para problemas complexos. Sua entrada no mercado imobiliário é motivada por uma visão ousada de transformar a forma como as pessoas vivem, trabalham e se locomovem. Vamos examinar as motivações por trás dessa nova empreitada e como Musk planeja trazer sua abordagem disruptiva para o setor imobiliário.

2. Tesla e SolarCity: conectando a mobilidade e a energia sustentável à habitação: As empresas de Musk, como a Tesla e a SolarCity, têm desempenhado papéis importantes na transição para veículos elétricos e energia sustentável. Agora, ele busca integrar essas tecnologias inovadoras à habitação. Vamos analisar como as soluções energéticas e de mobilidade da Tesla podem se traduzir em casas ecologicamente corretas e eficientes em termos energéticos.

3. Starbase e o desenvolvimento de comunidades futuristas: Starbase, cidade em desenvolvimento no Texas, é um exemplo fascinante da incursão de Musk no mercado imobiliário. Essa nova cidade está sendo projetada com uma abordagem holística e futurista, incorporando elementos de sustentabilidade, tecnologia avançada e espaços verdes. Vamos explorar como Musk está aplicando sua visão de uma sociedade interconectada e ecologicamente consciente no desenvolvimento dessa comunidade.

4. A aposta em casas pré-fabricadas e construção rápida: Elon Musk também tem investido em tecnologias de construção avançadas, incluindo casas pré-fabricadas e métodos de construção rápida. Vamos examinar as razões por trás desses investimentos e como essas tecnologias podem revolucionar a indústria da construção, permitindo a construção de casas mais acessíveis e eficientes.

A entrada de Elon Musk no mercado imobiliário é mais um exemplo de sua determinação em reinventar setores tradicionais. Sua visão de casas ecologicamente corretas, comunidades futuristas e soluções inovadoras de construção promete transformar a forma como vivemos

Preço dos aluguéis no país sobe 17% em um ano; O Melhor Momento para Sair do Aluguel e Conquistar sua Casa Própria

Nos últimos 12 meses, o preço do aluguel residencial do país subiu de 16,76%.

É o que aponta o Índice FipeZAP+ de Locação Residencial, que acompanha o preço médio de locação de apartamentos prontos em 25 cidades e foi divulgado nesta quinta-feira, 16. O indicador encerrado em janeiro deste ano superou a inflação acumulada pelo IPCA/IBGE (+5,77%) e IGP-M/FGV (+3,79%).

Todas as 25 cidades monitoradas pelo índice apresentaram aumento nos preços. Entre as capitais as maiores altas foram registradas em Goiânia (+32,37%); Florianópolis (+30,97%) e Curitiba (+23,75%). Na sequência estão Fortaleza (+22,39%); Belo Horizonte (+20,99%); Rio de Janeiro (+18,60%); Recife (+16,55%); Salvador (+15,51%); São Paulo (+14,85%); Porto Alegre (+11,89%) e Brasília (+9,25%).

Em janeiro, o preço do aluguel dos imóveis residenciais subiu 1,21%, acelerando em relação ao resultado de dezembro (+0,88%), superando os dados do IPCA/IBGE (+0,53%) e do IGP-M/FGV (+0,21%). Das 25 cidades monitoras, 24 apresentaram elevação dos preços do aluguel no período, incluindo as 11 capitais incluídas: Goiânia (+3,29%); Florianópolis (+2,00%); Fortaleza (+1,94%); Curitiba (+1,75%); Rio de Janeiro (+1,75%); Brasília (+1,23%); Belo Horizonte (+1,12%); Recife (+0,86%); Porto Alegre (+0,79%); São Paulo (+0,72%); e Salvador (+0,66%)

Em janeiro, o preço médio de locação residencial com base em dados de 25 cidades monitoradas foi de R$ 37,13/m² em janeiro de 2023. Na avaliação das capitais, das 11 incluídas no índice, São Paulo apresentou o preço médio de locação residencial mais elevado (R$ 45,90/m²), seguida pelos valores médios em: Recife (R$ 42,88/m²), Florianópolis (R$ 39,79/m²), Rio de Janeiro (R$ 38,31/m²) e Brasília (R$ 36,87/m²). Já as capitais com menor valor de locação, segundo os dados da última apuração mensal, foram as seguintes: Fortaleza (R$ 23,70/m²), Goiânia (R$ 27,14/m²), Porto Alegre (R$ 28,03/m²) e Curitiba (R$ 30,50/m²).

Portanto, diante do cenário de aumento dos preços dos aluguéis, é essencial considerar a possibilidade de sair do aluguel e investir em uma casa própria. Com planejamento financeiro adequado e as condições favoráveis de financiamento disponíveis, torna-se viável transformar o sonho da casa própria em realidade.

Ao optar por financiar uma casa, você estará direcionando seu dinheiro para um investimento sólido e de longo prazo. Enquanto os aluguéis continuam a subir, os pagamentos mensais do financiamento se tornam um investimento em seu patrimônio, permitindo que você construa um ativo valioso ao longo do tempo.

Além dos benefícios financeiros e da liberdade de personalização, investir em uma casa própria traz estabilidade e segurança para você e sua família. Não depender mais do risco de aumentos frequentes nos aluguéis proporciona tranquilidade e a certeza de um lar estável a longo prazo.

O Grupo Trader é a solução completa para ajudá-lo a conquistar sua casa própria. Com a Casa Gold Imóveis, você terá todo o suporte necessário para comprar ou vender seu imóvel. Já a Barah Projetos e Construções cuidará de todo o projeto e construção, garantindo qualidade e excelência.

Além disso, oferecemos todo o processo de financiamento por meio da Trader Cred, tornando o acesso ao crédito mais fácil e simplificado. Nossa equipe especializada está pronta para auxiliá-lo em todas as etapas, desde a escolha do imóvel até a aprovação do financiamento.

Fonte: https://exame.com/mercado-imobiliario/preco-dos-alugueis-no-pais-sobe-17-em-um-ano-veja-variacao-por-capital/

Poxa... Já vai embora?

Temos muitas outras opções para você.

Chame um dos nossos especialistas no WhatsApp 👇