fbpx

Incorporadoras apostam na personalização para imóveis de médio e baixo custo

As incorporadoras estão expandindo a personalização de imóveis para além das unidades de alto custo, alcançando agora o médio padrão e, até, edifícios populares. Essa inovação permite aos compradores escolher detalhes como tipo de piso, acabamento de paredes, cores, e a disposição dos ambientes antes mesmo da entrega do imóvel. A tecnologia 3D e a realidade virtual ajudam na visualização do projeto personalizado, criando um imóvel sob medida, adequado ao estilo de vida do cliente, o que evita reformas futuras.

O Ekko Group, por exemplo, criou uma subsidiária dedicada exclusivamente à personalização, e viu uma adesão de 28% nas vendas no último ano, gerando um faturamento de R$ 8 milhões. A Ekko Dekkor oferece desde marcenaria a enxovais finos, possibilitando que o cliente personalize completamente seu novo lar, pagando a personalização de forma integrada ao financiamento do imóvel.

A personalização também atinge o segmento popular com a Rio 8 Incorporações, que introduziu a customização em empreendimentos de baixo custo, como o Cenário da Montanha em Petrópolis (RJ). A opção pela cozinha americana, por exemplo, foi escolhida por 90% dos compradores, demonstrando que mesmo mudanças simples sem elevação do custo dos imóveis ajudam na melhora da qualidade de vida.

Fonte: Folha de S.Paulo

5 Sinais que sua casa precisa de uma reforma

Nem sempre os sinais de que a casa está pedindo uma reforma são tão visíveis aos olhos, por isso preparamos uma lista com cinco situações que devem ser observadas para que ela possa ser planejada, evitando gastos desnecessários e não programados.

 1º – Infiltração: É o primeiro indício de problema na construção. Acontece tanto em apartamentos, como em casas e seus sinais mais comuns são o mofo, escurecimento ou estufamento das paredes, queda de azulejos, pisos levantados ou descolados. Ela pode vir do piso, das paredes ou do teto e, se não resolvida, pode chegar a danificar estruturas. “Evitar a infiltração é mais simples do que combatê-la, por isso, quando a reforma for realizada, é importante que os devidos cuidados sejam tomados para evitar retrabalho futuro”.

  2º – Instalações: Podem levar a sérios problemas, mas sua “validade” varia muito de acordo com a construção e qualidade dos produtos utilizados durante a execução do projeto. As instalações envolvem fiação elétrica, estrutura hidráulica, ar-condicionado e automação. Casos de curto circuito e quedas repentinas de chave elétrica, por exemplo, podem ser indicadores de que a fiação é muito fina, antiga ou que o quadro de energia não está mais dando conta da demanda da residência, principalmente quando o imóvel é mais antigo e passou a ter uso de mais equipamentos eletrônicos, nesses casos, é recomendada a troca da fiação para evitar acidentes graves e até mesmo incêndios. Canos estourados ou retorno de água pelo ralo indicam que está na hora de reformar a parte hidráulica do imóvel.

3º – Esquadrias: Com o tempo é normal que, além das perdas estéticas, elas comecem a emperrar ou não estejam mais isolando e protegendo o interior do imóvel. Ao trocá-las, o ideal é investir em esquadrias mais novas, de fácil manutenção, com vidro duplo para isolamento térmico e sonoro, por exemplo. “Manter as esquadrias em bom estado é essencial para a segurança e conforto dos moradores e da estrutura, além de valorizar muito o imóvel e sua fachada.

4º – Acabamentos: Pisos e pinturas se desgastam com o tempo e esse é mais um sinal da necessidade de uma reforma, assim como a troca de louças, telhado, revestimentos, papel de parede, etc. Essas mudanças podem vir acompanhadas de outros motivos para reformar ou ainda para repaginar totalmente o imóvel, mas é importante lembrar que a manutenção é sempre mais fácil e econômica do que a substituição desses acabamentos.

5º – Estilo arquitetônico: Enjoar daquele estilo ou achar que algo não tem mais o seu perfil também é um ótimo motivo para reformar. O imóvel pode ser completamente repaginado. A reforma contempla principalmente mudança na decoração, nas cores e no revestimento. Na hora de alugar ou vender um imóvel, esse tipo de reforma também pode ajudar muito a valorizá-lo.

Mãos a Obra!

 

Matéria publicada por Rosita Jaeger (Arquiteta e Urbanista)

https://www.instagram.com/rosita_jaeger_arquitetura/

O que verificar na compra de um imóvel usado

Comprar imóvel usado é um excelente negócio, desde que alguns cuidados sejam tomados.

Mesmo diante da pandemia do Coronavírus, o ano de 2021 trouxe resultados positivos e surpreendentes no mercado imobiliário brasileiro.

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a estimativa é que durante o ano de 2021 tenham sido movimentados cerca de 11 bilhões de reais em vendas no Brasil.

As expectativas para o ano de 2022 continuam positivas, prometendo muitas oportunidades para os interessados em adquirir o seu imóvel e o chamado “ciclo de prosperidade” para o segmento continuará sendo uma realidade.

Os negócios envolvendo imóveis usados também chamaram a atenção em 2021.

Segundo o Painel do Mercado Imobiliário (PMI), só no primeiro semestre houve um crescimento de 110% em negócios envolvendo vendas de imóveis usados, quando comparado ao mesmo período de 2020.

Como se observa, as condições oferecidas pelo mercado e as oportunidades colaboraram para que milhares de famílias conquistassem a sua casa própria ou realizassem investimentos em imóveis por todo o país.

Neste post, apresentaremos 10 dicas a respeito dos cuidados que precisam ser tomados para a aquisição de um imóvel usado. Continue lendo e conheça detalhes sobre esse importante assunto!

Por que optar por um imóvel usado?

Na hora de escolher o próximo lar, é comum ficar em dúvida se vale a pena comprar um imóvel usado ou não. Normalmente, essa insegurança está relacionada com uma imagem negativa do apartamento ou casa por já ter sido usada.

Essa percepção não é necessariamente verdadeira, visto que existem muitas opções de prédios ou casas que já têm anos e estão em ótimo estado.

A verdade é que, no mercado imobiliário, nem sempre o mais novo é a melhor opção. Tudo depende de como a obra foi feita, os materiais usados e as técnicas utilizadas.

Isso quer dizer que é possível encontrar um imóvel usado que tenha qualidade, esteja bem preservado e ofereça tudo que você e sua família deseja.

Outro motivo para procurar por imóveis usados é o fato deles serem, geralmente, maiores que os novos, com quartos, salas e banheiros mais amplos.

Outra questão que deve ser considerada é a organização condominial e a definição da taxa de condomínio. Nos empreendimentos novos ou na planta, ainda não há nenhuma combinação ou regras, o que pode gerar conflitos futuros.

Nos casos de um imóvel usado, pode-se pedir ao proprietário uma média dos valores cobrados e ver se essa taxa está dentro do seu orçamento.

Além de tudo isso, as casas e apartamentos usados podem ser ótimos investimentos, principalmente em áreas que estão se valorizando com o passar dos anos. E isso vale tanto para venda quanto para locação.

Por já estar pronto para morar, os investidores podem colocá-lo para locação sem precisar aguardar longos períodos.

E esse também é um benefício para quem está comprando o imóvel para morar nele, sendo possível se mudar assim que o contrato for assinado.

Vale ressaltar que nem sempre o apartamento ou casa estará em perfeito estado para morar. Algumas vezes será necessário fazer pequenas obras, o que pode ser abatido do preço de venda.

Pense nessas reformas como uma oportunidade de melhorar o imóvel usado e aumentar o seu valor. Muitas pessoas optam por remover paredes, trocar o piso e pintar de uma cor diferente para transformar o ambiente e torná-lo ainda mais especial.

O que verificar antes de comprar um imóvel usado?

dicas sobre o que verificar antes de comprar um imóvel usado

Com todos os benefícios citados acima, você já deve estar convencido a comprar um imóvel usado.

Mas, para evitar problemas ou surpresas no futuro, é preciso atenção em todos os trará mais segurança e tranquilidade na negociação.

Para isso, recomendamos uma avaliação criteriosa dos seguintes itens:

Estado geral do imóvel

Um dos principais pontos a serem observados na compra de um imóvel usado é o estado geral dele, ou seja, como estão as estruturas internas e externas da casa ou apartamento

Essa análise é essencial para você avaliar se há necessidade de uma reforma e orçar o valor dela.

Esses valores poderão fazer parte do pacote a ser negociado com o proprietário.

Observe, por exemplo, o número de cômodos e o tamanho de cada um deles, bem como se haverá necessidade em quebrar paredes para ampliação dos espaços ou a necessidade do fechamento de uma área descoberta.

Tenha atenção especial em problemas de umidade nas paredes e tetos, o que pode ser notado pelo aparecimento de mofo e rachaduras. Esse é um sinal que há infiltrações e que é preciso fazer reparos antes de se mudar.

Móveis sob medida

Verifique se na casa ou apartamento que você pretende comprar existem armários sob medidas na cozinha, banheiros e quartos, analisando também o estado de cada um deles.

Móveis prontos e em bom estado facilitam a mudança e diminuem custos na hora de complementar a mobília e a decoração.

E se você desejar decorar tudo do zero, também há opções disponíveis no mercado. Há muitas casas e apartamentos que não contam com móveis para permitir a personalização dos ambientes.

Encanamento e rede elétrica

Você já ouviu falar de vícios ocultos em um imóvel? Eles são os chamados defeitos que geralmente não se percebe ao visitar as casas ou apartamentos que se pretende comprar. Na maioria das vezes, eles são detectados com o uso.

Esse tipo de problema é comum nas redes elétricas e hidráulicas, bem como nos tradicionais cupins em portas, janelas e até mesmo nos móveis instalados. 

Algumas vezes eles geram prejuízos ao comprador. Por isso, é bom ficar atento e se precisar, busque a ajuda de um profissional para fazer a devida análise.

Esse cuidado é ainda mais importante em imóveis que são muitos antigos, uma vez que tanto a fiação quanto a tubulação vão se degradando com o tempo.

Avalie bem a estrutura, não tenha medo de fazer perguntas e veja qual foi a última vez que foi realizada alguma obra relacionada a essas questões.

Acabamentos

Na lista sobre o que verificar antes de comprar um imóvel usado, o acabamento não pode ser esquecido. Afinal, uma casa e apartamento ganham ou perdem valor a partir desses detalhes.

Por isso, verifique a qualidade e o estado do piso, azulejo, esquadrias, louças sanitárias, metais e tudo mais que finaliza a obra. 

Não deixe de considerar o acabamento externo do jardim, calçada, garagem, etc.

É importante ressaltar que é comum que com o tempo os acabamentos vão perdendo a qualidade. Ou seja, você com certeza achará uma casa com azulejo danificado, por exemplo.

Nesses casos, pense na facilidade para o conserto e no potencial para melhora.

Localização

Escolher a melhor localização também é essencial. Comece observando a mobilidade e acessibilidade urbana da região. 

A infraestrutura do local também precisa ser analisada, portanto, verifique:

  • a qualidade dos serviços básicos de saneamento,
  • o serviço de limpeza pública e energia elétrica,
  • disponibilidade de internet,
  • comércio local,
  • escolas e universidades próximas,
  • serviço de transporte público,
  • espaços para lazer na região.

Uma dica: quem gosta de um lugar mais silencioso, por exemplo, deve evitar imóveis localizados próximo a grandes avenidas.

Segurança

dicas sobre o que verificar antes de comprar um imóvel usado

A segurança é um fator fundamental na escolha de um imóvel usado, portanto, informe-se a respeito da região onde ele está localizado e conheça detalhes sobre o assunto.

Faça tudo isso com antecedência para evitar surpresas. Afinal, ninguém quer se mudar e descobrir na experiência a alta taxa de criminalidade da região, não é?

Uma forma de saber mais sobre a área é pesquisar na internet notícias, conversar sobre os amigos e familiares que moram próximo e perguntar para um vizinho.

Outro ponto importante e que pode ser um diferencial é verificar se existem sistemas eletrônicos de segurança instalados no imóvel, evitando problemas com furtos e invasões.

Vizinhança

A vizinhança faz toda a diferença na sua qualidade de vida e na dos seus familiares, portanto, antes de fechar o negócio, procure saber como é o comportamento das pessoas que moram nas proximidades.

Uma boa dica para conhecer essa questão é passar pelo endereço várias vezes, em diferentes horários e dias, para observar o que acontece.

Essa recomendação também é válida para condomínios. Combine com o corretor ou com o proprietário para visitar o imóvel usado em diferentes horários para ver o real comportamento dos vizinhos.

Opções de pagamento

Não esqueça de considerar aqui todos os outros custos envolvidos na compra de um imóvel, como os impostos, o condomínio, as reformas, a pintura, os móveis e a mudança.

No caso de parcelamento de apartamentos, lembre-se de colocar no papel a parcela e a taxa condominial para garantir que o orçamento não ficará apertado.

Você também consegue recorrer aos financiamentos bancários para comprá-lo. Os critérios para a operação são praticamente os mesmos de um imóvel novo, inclusive podendo utilizar os recursos do FGTS.

Documentação

O quesito documentação é fundamental para o sucesso dessa operação, por isso a elaboração do contrato de compra e venda precisa ser realizado por profissionais competentes e capacitados para isso.

As boas imobiliárias oferecem esse apoio, o que garante a segurança da operação.

De forma geral, o proprietário deve ter a cópia da matrícula atualizada do Cartório de Registro de Imóveis, bem como a certidão com negativa de ônus e alienações.

Além disso, é essencial as negativas de débitos municipais, estaduais e federais e, claro, todos os documentos pessoais.

O comprador deve apresentar seus documentos pessoais e arcar com as despesas que lhe competem, como:

  • Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI),
  • registro do imóvel,
  • escritura pública,
  • taxas de cartório.

Imobiliária

Uma das mais importantes dicas sobre o que verificar antes de comprar um imóvel usado é procurar uma imobiliária conceituada e que possua credibilidade em sua cidade.

Lá, você encontrará diversas opções de casas e apartamentos, o que facilitará a sua procura.

É importante saber que uma imobiliária de qualidade, para aceitar um imóvel para ser vendido, pesquisa a sua situação legal e avalia a idoneidade do vendedor.

Além disso, oferece toda a assistência jurídica, garantindo maior segurança ao seu investimento.

Como comprar um imóvel usado?

As nossas dicas ajudarão você a avaliar melhor o imóvel usado, mas antes de chegar nessa etapa é preciso encontrar um apartamento ou uma casa que combine com o seu estilo.

Para isso, você precisa buscar o imóvel de forma regular, seja por meio da internet ou andando pela cidade e buscando placas de venda.

Para facilitar essa etapa de procura, recomendamos que você faça uma busca mais superficial para verificar quais regiões e tipos de imóveis estão na sua faixa de preço.

Assim, você evitará se apaixonar por um apartamento lindíssimo no centro da cidade que não cabe no seu orçamento.

Além disso, é importante considerar a estrutura desejada. Se sua família é composta por um casal e três filhos, por exemplo, uma casa de um quarto e um banheiro não será a ideal.

Em resumo, na hora de procurar é importante já ter definido:

  • localização desejada,
  • quantidade de cômodos,
  • orçamento familiar.

A partir dessa primeira filtragem, você encontrará alguns imóveis usados, bastando usar as nossas dicas para filtrá-lo.

Por que contar com uma imobiliária?

Como você já deve ter percebido, encontrar, avaliar, negociar e comprar um imóvel usado envolve diversos processos que precisam ser feitos com muita atenção para evitar problemas no futuro.

Para ajudar em todas essas etapas, pode-se contar com uma imobiliária que estará do seu lado em todos os momentos e trará muito mais praticidade e agilidade em todo o processo.

O primeiro benefício é de poder contar com corretores na procura do imóvel dentro dos seus critérios.

No nosso site, por exemplo, é possível utilizar diversos filtros para encontrar exatamente o que você está procurando, como:

  • estado,
  • cidade,
  • bairro,
  • tipo e subtipo de imóvel,
  • faixa de preço,
  • número de quartos e suítes,
  • vagas de garagem,
  • metragem.

Nos resultados você encontra fotos detalhadas de cada cômodo, assim como uma descrição completa do imóvel.

Se você se interessar, basta nos mandar uma mensagem para agendar uma visita e conhecer de perto o imóvel usado. Após a visita, pode-se iniciar a negociação e o levantamento dos documentos, o que será feito por profissionais especializados na área.

E caso não ache nada, basta conversar com alguém da equipe para contar o que sua família está procurando e passar seu contato para qualquer novidade.

Dê o primeiro passo para iniciar esse processo e encontre o seu próximo lar na Adquira Imóveis. Entre em contato conosco ou faça uma pesquisa no nosso site e comece a sua busca.

 

Matéria publicada em 10/05/2020 por Leonardo Stadler – adquiraimoveis.net

Dicas para fazer uma mudança organizada

Encaixotar tudo e levar para o novo imóvel não é tarefa fácil e exige paciência, mas é possível fazer uma mudança organizada gastando menos tempo e dinheiro.

Quem já precisou fazer uma mudança de casa sabe o quanto a tarefa exige muita paciência e também organização. O trabalho começa antes mesmo do dia de levar tudo para o novo imóvel e esse processo que antecede a mudança em si é fundamental para que tudo ocorra da melhor forma possível. Este é um momento oportuno para praticar o desapego e levar apenas o necessário. Além disso, é imprescindível ter o máximo de cuidado para não perder ou quebrar nada e também para que se gaste o menor tempo possível entre sair de uma casa e chegar na outra com todos os objetos e móveis. Ter um cronograma de tarefas e cumpri-lo à risca é importante para não perder o prazo e acabar tendo um gasto maior. Todos os detalhes podem fazer a diferença e saiba como fazer a mudança de forma organizada, economizando dinheiro e tempo.

Um ponto importante a ser levado em consideração é não deixar para começar a organizar a mudança em cima da hora. Ter um prazo maior pode fazer com que a organização seja mais bem feita e facilite o processo. Juntar uma quantidade boa de caixas, que podem ser encontradas em supermercados, é o pontapé inicial. “Empacotar tudo com antecedência, antes do prazo final para a mudança, é melhor para não se atrapalhar e acabar esquecendo alguma coisa durante o proceso”, afirma a arquiteta Julyana Alecrim, do escritório Alecrim Arquitetura.

Além disso, o planejamento pode ser importante principalmente quando se tem prazos, seja para entregar o apartamento antigo ou por motivos de trabalho. “O cronograma também é fundamental para agendar e controlar os fornecedores, mas tenha em mente que imprevistos acontecem e que algum dos fornecedores pode não cumprir o prazo”, diz Camila Teixeira, personal organizer e proprietária da Organizze Consultoria.

Desapego 

Já que você vai precisar mexer e organizar tudo que está dentro da sua casa, aproveite o momento para verificar o que está sendo usado, o que precisa de conserto, o que pode ser doado e o que pode ser descartado, por estar muito velho ou quebrado a ponto de não ter mais conserto. “É essencial praticar esse desapego antes de se mudar e esse é o momento perfeito. Quanto menos coisas tiver, menos trabalhosa será a mudança”, garante Camila Teixeira.

Nas caixas

A melhor forma de separar os itens é por ambiente para ter um controle maior tanto na hora de encaixotar quanto de desempacotar. “Uma boa dica é numerar os ambientes e as caixas, assim você vai saber para qual ambiente cada caixa se destina e é bem mais simples do que tentar descrever na própria caixa todos os itens que estão ali contidas”, explica a personal organizer. E tenha cuidado para não misturar os objetos. “Algumas caixas caberão mais itens, mas tente não misturar os objetos de ambientes diferentes na mesma caixa, mesmo que sobre espaço. Se precisar completar com algo, coloque apenas travesseiros e almofadas”, diz. Além disso, dê preferência para caixas menores. “Elas ficam menos pesadas e são mais fáceis de transportar”, completa.

Critérios

Na hora de embalar, é preciso estabelecer critérios para que tudo chegue intacto no novo imóvel. “Os critérios vão se afunilando. O primeiro é por ambiente e depois por itens. Você não deve misturar objetos delicados que podem quebrar com facilidade com outros itens”, aconselha Camila. Se a escolha for fazer a mudança com uma transportadora, procure saber se ela fornece caixas específicas incluídas no valor do serviço. “Quando se contrata transportadoras, a maioria delas oferece caixas específicas para taças e louçarias, itens bem delicados. Há também caixas que têm encaixe para cabides, desta forma o tempo de empacotar e desempacotar o vestuário é otimizado”.

Todo cuidado

Uma das questões básicas de uma mudança é embalar bem os objetos e ter muito cuidado com os objetos frágeis. Caso não tenha sido contratada uma transportadora e você mesmo vá embalar os itens, é preciso ter atenção. “Use jornal ou plástico bolha para envolver os objetos de vidro. E também não deixe espaço sobrando nas caixas para que eles não fiquem balançando e acabem se quebrando pelo contato entre eles. Complete os espaços vazios com jornais para evitar o atrito”, diz a arquiteta Julyana Alecrim. “No caso dos talheres, você pode deixá-los dentro do próprio porta-talher e embalar a caixa com papel ou papel contato”, acrescenta.

Objetos de valor

Se você tem algum objeto de valor para ser transportado, tenha atenção redobrada com ele. Leve todos os documentos em uma pasta, bolsa ou mala de mão. “Jamais deixe a cargo de outra pessoa ou de uma transportadora os itens de valor, como joias, documentos e objetos de valor sentimental muito grande. O que dá para você próprio transportar, leve com você. Joias são fáceis porque você pode colocá-las em uma bolsa de mão e nunca deixar que elas saiam do seu lado”, diz a personal organizer.

Kit de sobrevivência

Como a maioria de seus objetos, roupas e itens da casa estarão empacotados por um tempo até que a mudança seja concluída e tudo organizado no novo imóvel, ter em mãos um kit de sobrevivência pode facilitar a vida nos dias de transtorno com a mudança. “Faça uma mala com itens pessoais para cada morador, como algumas roupas, itens de higiene pessoal e carregadores de celular”, sugere Camila Teixeira.

Informações na mão

Ter tudo anotado é uma das dicas que pode fazer com que você tenha controle de todo o processo de mudança. “Tenha um caderninho com anotações referentes a mudança e prestadores de serviço para ter tudo sob controle”, detalha a personal organizer. Além disso, se não é você que vai receber a mudança no novo imóvel, tenha ainda uma lista com as caixas e o que elas estão transportando. “Quando o morador não pode receber essa mudança e encarrega outra pessoa de fazer isso, é bem importante que ele tenha tudo anotado. Só assim quem não participou do empacotamento pode controlar a entrega das caixas”, completa.

Como encaixotar de forma correta:

  • Não sobrecarregue as caixas com muito peso para que elas não se abram durante a mudança;
  • Ao finalizar a caixa, lacre bem com fita adesiva não apenas a parte de cima. Reforce também as laterais e a parte de baixo;
  • Identifique as caixas com etiquetas e escreva o que tem dentro de cada uma delas;
  • Embale louças com jornal para evitar o atrito entre elas e não deixar que elas se quebrem;
  • Objetos frágeis devem ser envolvidos em papel bolha ou até mesmo em toalhas;
  • Preencha os espaços vazios para evitar que os objetos fiquem batendo dentro da caixa;
  • Malas são bem-vindas para o transporte de roupas;
  • Embale os eletrônicos, já que eles podem quebrar, danificar ou sofrer arranhões.

Fonte: Zap Imóveis

Poxa... Já vai embora?

Temos muitas outras opções para você.

Chame um dos nossos especialistas no WhatsApp 👇