fbpx

Centro-Oeste é a região com maior aumento de vendas de apartamentos, aponta pesquisa

O Centro-Oeste registrou um aumento de 20,2% nas vendas de apartamentos no primeiro trimestre de 2024, em relação ao mesmo período de 2023. Essa foi a maior variação entre todas as outras regiões, conforme relatório apresentado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

No geral, o estudo apontou que o crescimento no comércio de unidades residenciais novas foi de 6% em todo o país.

De acordo com o levantamento, em janeiro, fevereiro e março deste ano, foram vendidos nas cidades brasileiras 81.376 imóveis, contra 76.794 somados nos mesmos meses do ano anterior. Apenas na região Centro-Oeste a quantidade foi de 4.908, em 2024, e 4.084, em 2023

A pesquisa foi realizada em 220 municípios, abrangendo ainda as 27 capitais e as principais regiões metropolitanas.

“Os dados confirmam uma projeção de fortalecimento que tínhamos como expectativa para 2024. Isso demonstra a confiança do consumidor em nossa região, junto com a qualidade dos empreendimentos.

São indicativos que nos deixam otimistas para uma manutenção nessa tendência de crescimento, visto que os trimestres seguintes costumam acumular o maior número de vendas”, comenta o diretor comercial do Grupo Vivart, Victor Bento.

Ainda no relatório da CBIC, Cuiabá aparece na 17ª colocação entre as capitais. A boa posição vai ao encontro dos dados divulgados, em abril deste ano, pelo Sindicato da Habitação de Mato Grosso (Secovi-MT).

Segundo a entidade, a capital mato-grossense alcançou, nos três primeiros meses, o faturamento de R$ 1,142 bilhão, o que representa 4,93% a mais em comparação ao mesmo período de 2023.

 

Fonte: Revista CDL Sinop/MT – Junho 2024

 

Sinop se aproxima de mil alvarás emitidos para novas obras; área construída cresce

O mais novo relatório da secretaria de Planejamento Urbano e Habitação da prefeitura apontou que, mês passado, (maio), 193 alvarás para novas obras residenciais e comerciais foram emitidos. O total do ano chegou em 977. O relatório que Só Notícias teve acesso, também registrou três unificações, 8 desmembramentos e 23 alvarás renovados.

Consta ainda que, durante o mês, dos alvarás liberados, 126 são unifamiliares, 37 comercial, 21 multifamiliar, 7 misto e dois institucional. O valor arrecadado conforme o número de alvarás liberados on-line é de R$ 791,4 mil. Foram 55 mil metros quadrados de área construída, 15 mil a mais que no mesmo mês de 2023.

Nos primeiro cinco meses deste ano foram emitidos 977 alvarás emitidos. Em comparação com o mesmo período do ano passado (1.148) houve queda de 14%.

Já o habite-se, documento que a prefeitura emite para comprovar a construção de um imóvel seguindo todas as regras estabelecidas pelo município, foram 571 este ano até o momento, janeiro 88, fevereiro 133, março 102, abril 121 e maio 127.

Fonte: Só Notícias/Kelvin Ramirez – 04/06/2024

Incorporadoras apostam na personalização para imóveis de médio e baixo custo

As incorporadoras estão expandindo a personalização de imóveis para além das unidades de alto custo, alcançando agora o médio padrão e, até, edifícios populares. Essa inovação permite aos compradores escolher detalhes como tipo de piso, acabamento de paredes, cores, e a disposição dos ambientes antes mesmo da entrega do imóvel. A tecnologia 3D e a realidade virtual ajudam na visualização do projeto personalizado, criando um imóvel sob medida, adequado ao estilo de vida do cliente, o que evita reformas futuras.

O Ekko Group, por exemplo, criou uma subsidiária dedicada exclusivamente à personalização, e viu uma adesão de 28% nas vendas no último ano, gerando um faturamento de R$ 8 milhões. A Ekko Dekkor oferece desde marcenaria a enxovais finos, possibilitando que o cliente personalize completamente seu novo lar, pagando a personalização de forma integrada ao financiamento do imóvel.

A personalização também atinge o segmento popular com a Rio 8 Incorporações, que introduziu a customização em empreendimentos de baixo custo, como o Cenário da Montanha em Petrópolis (RJ). A opção pela cozinha americana, por exemplo, foi escolhida por 90% dos compradores, demonstrando que mesmo mudanças simples sem elevação do custo dos imóveis ajudam na melhora da qualidade de vida.

Fonte: Folha de S.Paulo

Governo anuncia medidas para impulsionar setor imobiliário

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou que o governo prepara um conjunto de ações para revitalizar o setor imobiliário, com previsão de divulgação no início de abril. Entre as iniciativas, está a criação de um mercado secundário de títulos imobiliários, visando ampliar o acesso ao crédito imobiliário no Brasil. “Vamos destravar esse mercado”, afirmou Haddad, ressaltando a importância de um sistema de crédito mais robusto.

A estratégia inclui permitir que bancos vendam contratos de financiamento imobiliário para outras instituições, liberando espaço para novos financiamentos. Essa medida, segundo Haddad, tem potencial para impulsionar a construção civil no país. A equipe econômica já trabalha em conjunto com líderes do setor para desenvolver ações para “aprimorar o mercado de crédito imobiliário nacional”.

Além disso, o governo prepara um programa de hedge cambial e uma Medida Provisória que contempla uma linha de microcrédito para ex-beneficiários do Bolsa Família e a renegociação de dívidas do Pronampe. Haddad enfatizou a necessidade de um mercado de crédito imobiliário mais eficiente no Brasil, comparável ao dos países desenvolvidos.

Fonte: Money Times

Construção civil de Sinop começa 2024 em alta e número de novos alvarás aumenta 30,38%

A construção civil em Sinop, assim como em 2023, segue em alta em 2024. Reflexo disso são os dados do Núcleo de Projetos e Desenvolvimento Urbano de Sinop (Prodeurbs), que apontam que nos dois primeiros meses deste ano foram emitidos 369 alvarás de obras (188 em janeiro e 181 em fevereiro), com crescimento de 30,38% em relação ao mesmo período do ano anterior (283 emissões).

Este resultado também significa um crescimento em relação aos números alcançados nos dois primeiros meses de 2022 (312 alvarás e crescimento de 18,26%) e 2021 (336 alvarás e crescimento de 9,82%). Este avanço é impulsionado, ainda, pelos constantes investimentos realizados pela Prefeitura na infraestrutura, saúde, educação e outras áreas.

“Sabemos que Sinop cresce a cada dia e atrai os olhares de investidores do mundo inteiro. Nossa economia avança muito e isso dá confiança aos investidores, que vêm até nosso município e aqui iniciam novas obras de empresas, residências. É um crescimento sustentável”, enfatizou o prefeito Roberto Dorner.

Em relação ao habite-se (documento que a Prefeitura emite para comprovar a construção de um imóvel seguindo todas as regras estabelecidas pelo município, tornando-o apto para servir como moradia), foram emitidos 221 entre janeiro e fevereiro de 2024.

Uma das ações da Prefeitura que contribui para este crescimento da construção civil foi a sanção da lei complementar que ajustou novos limites para construções prediais em Sinop, o que vem evidenciando o potencial de verticalização do município.

As mudanças na legislação foram definidas com intuito de fomentar o desenvolvimento do município, já que, na prática, a quantidade de pavimentos na região do quadrilátero central (formada pelas avenidas Palmeiras, Tarumãs, Jacarandás e Ingás) fica livre.

Fora desta área, os novos prédios passaram a poder ter até 25 andares quando localizados em avenidas (antes o limite era 21) e, em ruas, onde antes os edifícios poderiam ter até 8 andares, podem ter agora o máximo de 12 pavimentos.

Fonte: Visão Notícias – 06 de Março de 2024 ás 12h 40min, por Luan Cordeiro

Caixa pretende injetar mais R$ 20 bi em crédito imobiliário com liberação de compulsório

A liberação de parte dos depósitos compulsórios no Banco Central para ampliar a capacidade de oferta de crédito imobiliário é uma demanda antiga de instituições financeiras para atender a demanda aquecida por crédito imobiliário. A vice-presidente de Habitação do banco, Inês Magalhães, afirma que a medida – permitindo a utilização de 5% dos recursos da poupança – poderia injetar aproximadamente R$ 20 bilhões no financiamento da casa própria.

Segundo Magalhães, esta discussão sobre liberação dos recursos tem avançado tanto no Banco Central quanto na Fazenda. Embora a decisão de liberar os compulsórios seja competência do Conselho Monetário Nacional (CMN), há simpatizantes da proposta no governo Lula, que veem nela uma oportunidade para estimular a atividade econômica em curto prazo. Contudo, dentro do Banco Central, a discussão é recebida com cautela devido ao caráter temporário do estímulo e à ausência de solução para questões estruturais, como o esgotamento da poupança como fonte principal de financiamento imobiliário.

Inês Magalhães destaca a necessidade de encontrar soluções para a mudança na relação dos brasileiros com seus investimentos, uma vez que a poupança vem perdendo atratividade. Além disso, a vice-presidente menciona a securitização como uma alternativa viável, embora reconheça os desafios de implementá-la sem encarecer o crédito imobiliário.

Fonte: Folha de S.Paulo

FGTS Futuro deve ser aprovado em março para facilitar compra da casa própria

O FGTS Futuro, proposta implementada pelo governo brasileiro, pretende facilitar o acesso à casa própria para famílias de baixa renda, inicialmente focando nos beneficiários do programa Minha Casa, Minha Vida. A medida permitirá que trabalhadores com carteira assinada comprometam parte do depósito mensal do FGTS, de 8% do salário, para complementar a renda na obtenção do financiamento habitacional. Assim, trabalhadores poderão optar por unidades de maior valor, pagando prestações menores.

A nova modalidade está em processo de regulamentação pelo Conselho Curador do FGTS e deve ocorrer sem polêmicas na próxima reunião do Conselho em março. Se aprovado, famílias que ganham até R$2.640 mensais poderão complementar o pagamento de prestações habitacionais com o valor que o empregador ainda vai depositar na sua conta vinculada do FGTS, demonstrando capacidade de pagamento para conseguir um financiamento.

A expectativa é que o uso do FGTS Futuro ajude a diminuir o déficit habitacional e melhore a vida para milhares de famílias em todo o país. Fontes consultadas pelo jornal Valor Econômico, e que participam da elaboração da resolução, afirmam que a mudança fará com que uma família possa comprometer até 30% de sua renda com o financiamento do imóvel no FGTS futuro. Hoje essa porcentagem está em 25%.

Fonte: O Globo e Valor Econômico

Diante do avanço do crédito, investidores apostam em imóveis de luxo

O crédito imobiliário para propriedades de alto padrão está em alta. Para 2024 a previsão é que a demanda permanecerá forte, impulsionada pela preferência dos compradores por financiamento em vez de pagamento à vista. Especialistas como Roberto Sampaio, da Unitas Real Estate Investment Advisors, destacam que as taxas de juros no setor são mais atrativas em comparação com a Selic, incentivando investidores a financiar a compra de imóveis.

A projeção da taxa básica de juros para 2024 é de cerca de 9%, mas as taxas de financiamento não devem diminuir a curto e médio prazos, na avaliação de Sandro Gamba, da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Por outro lado, espera-se um novo recorde no volume total de empréstimos imobiliários, com estimativa de cerca de R$259 bilhões em 2024, representando um aumento de 3% em relação ao ano anterior.

Além disso, o mercado de capitais tem desempenhado um papel significativo no financiamento imobiliário, com um aumento surpreendente na captação de recursos por meio de instrumentos como letras de crédito imobiliário (LCI), certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e fundos de investimento imobiliário (FIIs). Ainda de acordo com analistas do mercado, a redução da Selic também impulsiona o interesse dos investidores em FIIs, especialmente no segmento residencial de alto padrão, incluindo novos modelos de locação, como contratos de curta duração para apartamentos mobiliados.

Fonte: Valor Econômico

Modernização de lei para construções prediais evidencia potencial vertical de Sinop e emissão de alvarás bate recorde

O novo recorde obtido em relação à emissão de alvarás de construção em novembro, com 389, é 84,36% maior que o mesmo mês em 2022, quando foram registradas 211 emissões. O número expressivo é reflexo da pujança da construção civil no município, mas também resultado da lei complementar, sancionada há cerca de um ano pelo prefeito Roberto Dorner, que ajustou novos limites para construções prediais em Sinop, o que vem evidenciando o potencial de verticalização do município.

O resultado deste ano, representa 57.245,9 metros quadrados autorizados para construção. Considerando o resultado de janeiro a novembro de 2023, foram 3.092 emissões, isto é, um crescimento de 19,2% em relação ao mesmo período de 2022, com 2.594 emissões. Já sobre o habite-se (documento que a Prefeitura emite para comprovar a construção de um imóvel seguindo todas as regras estabelecidas pelo município, tornando-o apto para servir como moradia), o crescimento é de 21,48%, com 1.346 emissões em 2023 e 1.108 no ano anterior.

As mudanças na legislação foram definidas pelo prefeito e equipe do Executivo, e aprovadas pelos vereadores na Câmara Municipal. O intuito é fomentar o desenvolvimento do município, já que, na prática, a quantidade de pavimentos na região do quadrilátero central (formada pelas avenidas Palmeiras, Tarumãs, Jacarandás e Ingás) fica livre.

Fora desta área, os novos prédios passaram a poder ter até 25 andares quando localizados em avenidas (antes o limite era 21) e, em ruas, onde antes os edifícios poderiam ter até 8 andares, podem ter agora o máximo de 12 pavimentos. “Foram mudanças essenciais para o nosso município e hoje nós já vemos os frutos sendo colhidos, com diversos prédios sendo construídos em diferentes regiões”, destacou o prefeito.

De acordo com o diretor do Núcleo de Projetos e Desenvolvimento Urbano de Sinop, Luiz Henrique Magnani, os ajustes proporcionaram que Sinop ganhasse uma nova cara. “Sinop vem dando uma virada nessa questão da verticalização a partir da mudança da Lei, quando a atual gestão entendeu que sem as alterações legais inviabilizaria que Sinop se verticalizasse. Então, numa ação da gestão, através do prefeito Roberto Dorner, que entendeu esse propósito, fizemos essa alteração legal e hoje Sinop vem respondendo significativamente. Foi uma ação da gestão que refletiu significativamente na criação de um novo município, que vai se verticalizar e crescer exponencialmente nos próximos anos”.

Um desses empreendimentos, cuja construção foi viabilizada em decorrência da mudança da legislação, é o SKY 360, prédio comercial que será edificado na rotatória do cruzamento das avenidas Figueiras com Magda Pissinatti, na região do Residencial Florença. A unidade, que é uma parceria da Haacke Empreendimentos com a World Trade Center (WTC), deve contar com 25 andares (caso não houvesse a modernização, o prédio poderia ter 21 andares).

“Foi uma modernização que evidenciou o potencial de Sinop não só para a região ou Estado, mas sim para o mundo. E assim como esse empreendimento, outros poderão ser instalados em nosso município através do avanço dessa lei. Isso significa novos empreendimentos e, consequentemente, mais geração de empregos e renda”, completou Dorner.

Fonte: https://www.sinop.mt.gov.br/Noticias/Modernizacao-de-lei-para-construcoes-prediais-evidencia-potencial-vertical-de-sinop-e-emissao-de-alvaras-bate-recorde-11557/

Primeiro voo da LATAM na rota Sinop-Guarulhos registra 86% de ocupação

A LATAM, que se tornou mais eficiente e competitiva, lançou oficialmente a rota Sinop-São Paulo/Guarulhos em 1º de novembro, com uma taxa de ocupação de 86% no voo inaugural. Essa nova rota, a segunda da companhia na região após Sinop-Brasília, tem a previsão de transportar mais de 38 mil passageiros por ano.

Essa operação conecta diretamente a região do norte mato-grossense ao principal hub da LATAM no Brasil, localizado em Guarulhos, de onde a companhia oferece conexões para mais de 50 destinos no Brasil e outros 90 destinos internacionais.

A diretora de Vendas e Marketing da LATAM Brasil, Aline Mafra, destacou que o investimento considera a demanda forte e consistente da região, observando que a rota Sinop-Brasília já havia registrado um alto índice de ocupação e transportado 90 mil passageiros em 17 meses. Agora, a nova rota permitirá um rápido acesso a toda a conectividade de Guarulhos.

O voo Sinop-São Paulo/Guarulhos é operado quatro vezes por semana, utilizando aeronaves Airbus A319 com configuração de até 12 passageiros na cabine Premium Economy e 126 na Economy. A duração média do voo é de 2 horas e 30 minutos, com horários que facilitam a conexão entre as duas cidades. Além disso, o voo Sinop-Brasília continua sendo operado em dias específicos, oferecendo mais opções para os passageiros da região de Sinop.

Fonte: https://aeroin.net/primeiro-voo-da-latam-na-rota-sinop-guarulhos-registra-86-de-ocupacao/

Poxa... Já vai embora?

Temos muitas outras opções para você.

Chame um dos nossos especialistas no WhatsApp 👇